• Instagram - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle
  • Facebook - Black Circle

© 2019 por Dr. Artur Reis

Apendicite Aguda

( inflamação do apêndice cecal)

 

O que é apendicite aguda?
 

A é uma doença inflamatória intra-abdominal conhecida como abdome agudo inflamatório e é causado pela inflamação do apêndice cecal. É a principal causa de abdome agudo inflamatório e acontece em qualquer idade, sendo mais comum no adolescente e no adulto jovem.

 

Como acontece?
 

A apendicite aguda geralmente ocorre devido à uma obstrução do apêndice cecal. Não há como prever quando isto pode ocorrer e quando ocorre gera uma dor abdominal de início insidioso que aumenta com o passar das horas até que o paciente é obrigado a procurar atendimento. Geralmente se inicia difusamente pelo abdome em algumas horas se localiza no quadrante inferior direito do abdome. Ela pode ocorrer em qualquer idade, mas predomina entre os adolescentes e adultos jovens.

Sinais e sintomas?
 

Geralmente a dor se inicia como uma dor abdominal frustra e difusa mal localizada, que se intensifica e localiza em quadrante inferior direito do abdome. Pode vir acompanhado de náuseas, vômitos, febre, mal estar e anorexia ( falta de fome).

 

Os principais sintomas são:

  • Dor abdominal em quadrante inferior direito do abdome

  • Náuseas e vômitos

  • Sensação de má digestão

  • Febre

  • Inapetência, anorexia

  • Mal estar

  • Sudorese

 

Diagnóstico
 
  • ​O diagnóstico geralmente é realizado por. um bom médico somente ouvindo associado ao exame físico característico, no entanto, o exame que possui maior sensibilidade e especificidade é a tomografia computadorizado do abdome. 

Exames que podem diagnosticar:​

  • Rx de abdome​

  • Ultrasson de abdome

  • Tomografia de Abdome

  • Ressonância de Abdome

 

Tratamento
 

A apendicectomia é o procedimento de escolha para tratamento da apendicite aguda e este procedimento pode ser realizado pela técnica aberta ou por videolaparoscopia. A via de acesso depende de muitos fatores ( idade, comorbidades, tempo de evolução, peso do paciente, etc...)

 

  • Internação de 12 a 24 horas ( depende do tempo de evolução do quadro clinico inicial)

  • Baixa taxa de complicação 

  • Afastamento das atividades habituais por um período de 1 a 2 semanas 

  • Pequenas cicatrizes 

 

Clique aqui para saber mais sobre as formas de tratamento

 

Escrito por Dr. Artur Chagas Vilela dos Reis CRMSP:124.285